unraccord

quando André Breton ia ao cinema





"[...] Nem sequer a recordação do oitavo e último episódio de um filme que vi passar ali perto, no qual havia um chinês que tinha descoberto já não sei que processo de se multiplicar e invadia Nova Iorque sozinho, fazendo proliferar pela cidade alguns milhões de exemplares dele próprio. Entrava, seguido de si mesmo, e de si mesmo, e de si mesmo, e de si mesmo, no gabinete do presidente Wilson, que tirava as lunetas. Este filme, de longe o que mais me impressionou, intitulava-se L'Éntreinte de la Pieuvre [THE TRAIL OF THE OCTOPUS].
Com este sistema que consiste, antes de entrar num cinema, em nunca consultar o programa - não ganhava nada com isso, de resto, pois nunca consegui fixar os nomes de mais de cinco ou seis intérpretes -, corro evidentemente o risco de me «estatelar» mais do que qualquer outro, embora deva confessar aqui o meu fraco pelos filmes franceses que se distinguiam pela sua completa idiotia. Aliás, compreendo muito mal, sigo de modo extremamente vago, o que por vezes acaba por me incomodar; quando isso acontece, interrogo os meus vizinhos. Seja como for, certas salas de cinema do décimo bairro parecem-me ser sítios particularmente indicados par eu lá estar, como no tempo em que ia com Jacques Vaché para a plateia da antiga sala das «Folies-Dramatiques», onde nos instalávamos para jantar, abríamos latas, partíamos pão, fazíamos saltar rolhas e garrafas e falávamos alto como se estivéssemos à mesa, para grande estupefacção dos espectadores que nada ousavam dizer."

excerto do livro NADJA (1928) de André Breton 
Tradução de Ernesto Sampaio
Editorial Estampa, 1972







O filme a que se refere André Breton neste livro trata-se de THE TRAIL OF THE OCTOPUS
um filme de 1919 composto por 15 episódios, realizado por Duke Worne e protagonizado por Ben Wilson e Neva Gerber. Foi restaurado e editado em DVD pela The Serial Squadron.