unraccord

Miroslav Tichý

Miroslav Tichý (1926-2011) Fotógrafo da República Checa.

Um fotógrafo exemplar para comprovar que não são as câmaras fotográficas ou a técnica avançada que fazem grandes fotografias. Ou num sentido mais lato: Arte não se faz somente com a técnica.
Por mais conhecimentos ou instrumentos técnicos evoluídos que se possua isso não é garantia de criação artística. Tomemos como exemplo o facto de sabermos ler e escrever, isto é, sermos alfabetizados não faz de nós escritores, ainda que alguns julguem que sim, passeando pelas avenidas mediáticas disfarçados de poetas ou de escritores em prosa. Frequentar uma faculdade de Belas Artes não faz per se artistas plásticos, e alguns são tão poseurs que até dá vergonha ver o que fazem. Assim como o facto de agora as câmaras fotográficas digitais estarem a preços acessíveis a quase todas as pessoas não faz delas fotógrafas, basta lembrar aos medíocres tecnicistas da fotografia que até uma lata pinhole produz imagens.
E ainda temos de considerar os smartphones para embelezar a festa fotográfica a poluir visualmente o mundo. Sublinhe-se também, que as cada vez mais pequenas e de altíssima qualidade câmaras de video HD não produzem sozinhas os filmes, nem por alguém possuir uma maravilha tecnológica que regista imagens em movimento se pode considerar cineasta. Existem muitos filmmakers, porém muitos poucos são cineastas.
O que sempre mais existiu no mundo da criação é entulho artístico, não é fenómeno novo, não existe a matriz original de nada, toda a criação é uma sucessão de intermináveis palimpsestos de ideias, conceitos, técnicas, etc. e julgo que outra condição natural e artística não é possível. Um artista deve sempre colocar a questão: tenho alguma coisa para dizer ao mundo?. Alguns têm, outros não.
A técnica não interessa para nada, excepto para sustentar o capital que suporta a "Obra de Arte na Era de Sua Reprodutibilidade Técnica." (Walter Benjamin).




Miroslav Tichý
fotografias










um dos aparelhos fotográficos concebidos e utilizados por Miroslav Tichý