unraccord

fragmentos de um post-esmola


Em 14 de Fevereiro de 1996 a revista Les Inrockuptibles, nº 44
 publicou uma entrevista com João César Monteiro 
com excelentes fotografias de Patrick Messina
Quanto a mim este é o seu melhor retrato.


Dizem que Portugal é pobrezinho. Que tem muitos pobres, infelizmente é verdade. Então nos dias que correm é uma injusta e ignominiosa calamidade. Porém, de pobre nada tem, contudo muitos pobrezinhos de espírito e mentalidade não faltam. Quanto à riqueza de Portugal, a sua maior são os seus criadores, os seus artistas. 
Muito em particular os seus cineastas. E um muito em especial: João César Monteiro.
Os seus filmes são uma mina de diamantes, ouro e pedras preciosas, mas nada de petróleo.
São Casas. Pão e Vinho. Muita Fruta. Carne. Leite e Ovos.
Torrentes de Água, Legumes e alguns pintelhos femininos. 
A sua obra cinematográfica é única no mundo. A sua sapiência, inteligência, sensibilidade, subtileza, poesia, libertinagem, humor, tudo o que faz um génio está nas suas 11 curtas-metragens e 10 longas-metragens. 
Nos seus textos críticos e literários. Nas suas fabulosas entrevistas.
Toda esta fortuna está editada em DVD, em livros e num excelente website, o portal
http://www.joaocesarmonteiro.net com toda a informação existente e sempre em actualização desde a biografia, filmografia, fotografias, textos, publicações, etc. com responsabilidade organizacional do projecto da mentora e especialista em JCM, Liliana Navarro.
Certamente os seus filmes estão também preservados na Cinemateca Portuguesa /ANIM e se um museu de arte contemporânea não adquiriu uma cópia do filme "Branca de Neve" (2000) é porque os seus responsáveis andam distraídos com a arte XXL de encher o olho, pois há curadores de tudo, até de queijo.
Este tesouro de filmes pode ser adquirido numa edição DVD da caixa "Integral João César Monteiro" há venda online ou em lojas do supermercado lusitano de cultura por um preço a que os pobres ainda não podem almejar. Se algum mecenas sofrer de bondade faça o obséquio de entrar em contacto com este pobre cinéfilo. 
São também de enaltecer as publicações que a Cinemateca Portuguesa dedica ao genial cineasta João César Monteiro, o Catálogo (2005) e as Folhas (2010). 
Destaco ainda a pérola bibliográfica "Vai e Vem" com ilustrações de Filipe Abranches e poema de Manuel de Freitas (2005). Há mais edições e publicações que podem conhecer no portal JCM.

"...creio na nudez da minha vida. Eu não acredito na biografia,
que é a vida contada pelos outros."

por isso vejam os filmes.







Esta caixa inclui 11 DVDs:
■ Os Quatro Primeiros Filmes (1969/75, 187 mins)
Sophia de Mello Breyner Andresen (1969); Quem Espera por Sapatos de Defunto Morre Descalço (1970); Fragmentos de um Filme-Esmola (1972); Que Farei Eu Com Esta Espada (1975)
Veredas (1978, 116 mins)
Silvestre (1982, 118 mins)
À Flor do Mar (1986, 143 mins)
Recordações da Casa Amarela (1989, 120 mins)
O Último Mergulho (1992, 85 mins)
A Comédia de Deus (1995, 165 mins)
Le Bassin de J.W. (1999, 134 mins)
As Bodas de Deus (1999, 150 mins)
Branca de Neve (2000, 75 mins)
Vai e Vem (2003, 175 mins)

E um folheto com um maravilhoso texto "A César o que julgo de César" 
de Vitor Silva Tavares (o editor da &etc)

As restantes 7 curtas-metragens de JCM e outros extras como entrevistas a distintas personalidades, fotografias, cartazes, filmografia, etc estão distribuídas pelos vários DVDs da caixa, julgo que estaria melhor editada esta caixa se todas as curtas-metragens estivessem num único DVD, o que daria 12 dvds no total, e à dúzia diz o povo que é mais barato. Todavia, e isso é que devemos saudar, temos o ramalhete cinematográfico "Monteiriano" editado e completo, são elas:
- A Mãe / O Rico e o Pobre (1978)
- Os Dois Soldados (1979)
- O Amor das Três Romãs (1979)
- Conserva Acabada (1989)
- Lettera Amorosa (1995)
- Passeio com Johnny Guitar (1995)
- O Bestiário ou o Cortejo de Orfeu (1995)



 
as edições da Cinemateca






fotograma da comédia lusitana "Recordações da Casa Amarela" (1989)
onde se vê à esquerda JCM a interpretar o personagem João de Deus.
Esta imagem é perfeita, diz quase tudo o que é preciso saber sobre João de Deus/JCM

fotograma do seu último filme "Vai e Vem" (2003).
JCM é um senhor de classe e estilo.