unraccord

Claudia Cardinale, A Rapariga da Mala

Já não há filmes assim, como este "A Rapariga da Mala" (La Ragazza con la Valigia, Itália, 1961) de Valerio Zurlini. E não há, porque já ninguém filma com a sensibilidade de Valerio Zurlini, magnifico cineasta italiano, injustamente esquecido e na sombra dos outros que fizerem o grande cinema italiano do século XX. Admirável mise-en-scene de Zurlini, dos planos gerais aos grandes planos sobre os rostos de Jacques Perrin (que grande actor, aqui ainda jovem, e compare-se com interpretação do protagonista no último filme de Zurlini "O Deserto dos Tártaros") e de Claudia Cardinale (Ainda há mulheres assim?) aos subtis movimentos de câmara sobre o escultural corpo de la donna Aida perdida no mundo e que só a inocência juvenil a protege e impossivelmente a ama.