unraccord

o cinema morreu, restam-nos os filmes?

Para poder ver filmes num bom e grande ecrã até sentado numa cadeira de pregos o faria. Eu gostava era de viver num quartinho em frente à cinemateca, das poucas vezes que lá vou (pois tenho de gastar uma pequena fortuna para ir ver um filme à cinemateca) e depois tenho de vir embora, saio de lá com uma melancolia terrível, tipo o puto que estava tão bem e que de repente lhe arrancam o brinquedo das mãos, no meu caso arrancam-me os olhos e sugam-me o cérebro por não ter uma cinemateca no meu quotidiano. E até vivo no meio de milhares, sim milhares de filmes em dvd, mas nada, nada me tira o prazer de um filme numa boa sala de cinema. E agora que já andava a sangrar, desespero porque o Porto ficou sem salas (a não ser as de centro comerciais, que dispenso) mataram o cinema em sala, "Le cinéma est mort". 
O cinema morreu, restam-nos os filmes? eu não quero isso, quero que o cinema faça parte da minha vida, como sempre fez, quero fugir para ele porque me zanguei com a namorada, quero sentar-me nas cadeiras duras de uma sala a cheirar a mofo e sentir a magia que um cone de luz oferece, quero os átomos da película, as lágrimas no escuro e rostos de mulheres lindas maiores que a vida.